+ Noticias

12/04/2019 09:37

Copa São Paulo aproxima dirigentes e fomenta o intercâmbio técnico entre Estados

(REVISTABUDO_

Definitivamente, os números da 12ª edição da Copa São Paulo de Judô impressionam e comprovam que ela é o maior certame do judô brasileiro e, muito provavelmente, também a maior competição interclubes do judô mundial.

Com a participação de 4.445 atletas, 278 árbitros, 1.163 técnicos, 804 clubes, 372 oficiais técnicos e 12 presidentes de federações estaduais, esta edição da Copa São Paulo confirma que a coordenação técnica da Federação Paulista de Judô (FPJudô) está capacitada para promover e realizar eventos grandiosos.

Participaram da cerimônia de abertura numerosas autoridades esportivas e políticas de grande expressão, mas o principal destaque foi o número expressivo de dirigentes estaduais presentes em São Bernardo do Campo para conhecer e ver de perto como é feita a gestão da maior competição de judô das Américas.

Mais de 16 presidentes estaduais haviam confirmado presença no certame, mas deixaram de comparecer por motivos alheios à vontade deles. Entre os dirigentes que enfrentaram a pressão exercida em várias esferas do esporte nacional e foram a São Paulo estavam Luiz Hisashi Iwashita, Paraná; Moisés Gonzaga Penso, Santa Catarina; Georgton Thomé Burjar Moura Pacheco, Tocantins; Antônio Luiz Milhazes Filho, Alagoas; José Caldeira Cardoso, Ceará; Cesár Augusto Paschoal, Mato Grosso do Sul; Delfino Batista da Cunha Filho, Acre; Luís Rodolfo Martins Leite, Maranhão; Fernando Moimaz, Mato Grosso; Tibério Maribondo do Nascimento, Rio Grande do Norte; e Antônio Jovenildo Viana, Amapá.

Ao avaliar o gigantismo da competição, cada dirigente estadual destacou um aspecto importante da disputa que, além de reunir atletas, técnicos e equipes de 21 Estados, constituiu o hajime do calendário esportivo desta temporada.

Presidentes exaltam a Copa São Paulo

“Mais uma vez São Paulo confirma seu gigantismo e mostra excelência na realização de eventos de grande magnitude, seja no número de atletas ou no de clubes, deixando grande exemplo de gestão para os demais Estados, disse Antônio Jovenildo da Silva Viana, presidente da Federação Amapaense de Judô (FAJ).

Luiz Iwashita, Antônio Viana, José Cardoso Neto, Antônio Luiz Milhazes, Fernando Moimaz e Francisco de Carvalho

Luiz Hisashi Iwashita, presidente da Federação Paranaense de Judô (FPrJ), lembrou: “Todos os anos faço o possível para estar na Copa São Paulo, um evento monstruoso, com enorme importância técnica, que nos deixa muito orgulhosos de participar”.

Para Delfino Batista da Cunha Filho, presidente da Federação de Judô do Estado do Acre (FJEAC), a Copa São Paulo é um evento de que a família judoísta brasileira tem orgulho. “O Acre sempre participou e participará desta competição que proporciona enorme intercâmbio técnico”, avaliou

Dirigentes durante a execução do Hino Nacional

“A Copa São Paulo é referência para todos nós e revela altíssimo nível técnico. Santa Catarina enviou alguns atletas, como em todos os anos, porque é muito importante para o desenvolvimento técnico de todos nós”, disse Moisés Gonzaga Penso, presidente da Federação Catarinense de Judô (FCJ).

“Esta é a terceira vez que participamos da Copa São Paulo, e este é um evento de enorme sucesso por tudo que oferece aos atletas e técnicos”, afirmou Luiz Rodolfo Leite, presidente da Federação Maranhense de Judô (FMJ). “Ela abre o calendário esportivo da temporada e é aqui que os nossos atletas têm oportunidade de conhecer judocas de todos os Estados. Para nós, do Maranhão, a Copa São Paulo possui especial importância.”

Mais de 16.000 pessoas passaram pelo Ginásio Adib Moysés Dib no primeiro fim de semana da Copa São Paulo 2019

Cesár Augusto Progetti Paschoal, presidente da Federação de Judô do Mato Grosso do Sul (FJMS), que já veio ao evento no ano passado, disse que espera voltar outras vezes para presenciar o grande exemplo de organização e gestão. “Pela quantidade de atletas que participam, só mesmo uma equipe altamente capacitada pode realizar algo desta magnitude, e a FPJudô faz isto com maestria. Temos aqui um exemplo de gestão de grande valia para que todas as federações de menor porte possam aprender a executar eventos desta relevância”, enfatizou.

Raul Senra Bisneto, Moisés Gonzaga Penso, Adib Bittar Júnior, Hatiro Ogawa, César Augusto Paschoal e Luís Rodolfo Martins Leite

“A Copa São Paulo é referência para todos nós. Nós organizamos a Copa Ceará, e sem dúvida alguma aprendemos muito acompanhando este evento. A organização, a premiação e até mesmo a divulgação da copa são impecáveis”, disse José Caldeira Cardoso Neto, presidente da Federação Cearense de Judô (FECJU).

“Estou muito feliz por voltar mais uma vez a este grandioso evento”, garantiu Ton Pacheco, presidente da Federação de Judô do Estado de Tocantins (FEJET). “A cada ano a equipe técnica da FPJudô melhora e aperfeiçoa uma competição que se renova a cada ano e acaba atraindo um número sempre maior de participantes.”

José Cardoso Neto, Antônio Luiz Milhazes, Fernando Moimaz e Francisco de Carvalho

Fernando Moimaz, presidente da Federação Mato-grossense de Judô (FMTJ), considera a Copa São Paulo um evento verdadeiramente grande e uma referência importantíssima para quem vem de outros Estados. “Pelo gigantismo, a nossa avaliação do certame é ótima; porém, o grande legado desta iniciativa é o intercâmbio técnico que proporciona aos atletas de todas as classes e pesos”, disse

“Este é um evento fantástico e exemplar em termos de organização, de adesão de atletas, clubes e, sobretudo, de competência da equipe organizadora. Isto mostra a capacidade da liderança em desenvolver eventos de tamanha magnitude”, destacou Antônio Luiz Milhazes Filho, presidente da Federação Alagoana de Judô (FAJU).

“Estamos aqui para parabenizar o presidente Alessandro Puglia pelo grandioso evento que reuniu milhares de atletas de todo o País, registrar a nossa alegria em poder estar presente e observar o desempenho de grandes atletas”, afirmou Tibério Maribondo do Nascimento, presidente da Federação de Judô do Estado do Rio Grande do Norte (FJERN). E aproveitou para convidar todos para a Copa Natal.

O ponto alto do encontro foi a entrega da faixa vermelha e branca (6º dan) a Antônio Viana que recebeu seu roku-dan do professor kodansha (9º dan), Miguel Suganuma uma das maiores referências técnicas do judô brasileiro

Francisco de Carvalho destacou a importância da união entre os dirigentes que fazem o judô acontecer

Mostrando enorme satisfação pelo número expressivo de dirigentes estaduais que participaram da 12ª Copa São Paulo de Judô, Francisco de Carvalho, presidente de honra da FPJudô, afirmou que os dirigentes que foram a São Bernardo do Campo abrilhantaram o certame e prestigiaram os atletas.

“Avalio que a participação dos presidentes estaduais na Copa São Paulo é de suma importância, principalmente acompanhando a classe máster, que a cada ano vem-se destacando nos cenários nacional e internacional, obtendo resultados significativos. É uma classe que começou modestamente em São Paulo e se espalhou por todo o País, tornando-se hoje uma realidade. Agradeço a todos os presidentes que estiveram em nosso evento porque, além de abrilhantá-lo e proporcionarem um upgrade na competição, prestigiaram os atletas de seus Estados que aqui estavam”, disse o professor Chico, que detalhou a importância da participação de todos eles.

Os professores kodanshas Miguel Suganuma, Michiharu Sogabe, Emílio Moreira e Paulo Duarte com dirigentes estaduais

“Solicitamos que cada dirigente avaliasse a competição, apontando os erros e acertos. É só deste jeito que podemos construir uma competição com nível cada vez melhor: ouvindo os presidentes. E foi muito bom. Tivemos momentos de descontração e pudemos trocar ideias sobre os mais diferentes assuntos relativos ao judô e à sociedade, e expusemos as nossas expectativas sobre o momento que vivemos. Foi um encontro extremamente importante para todos nós, e desejo que no ano que vem tenhamos não 12 ou 13, mas sim 27 presidentes, para vivermos um momento de descontração e de intercâmbio muito maior. Acredito que, quanto maior for a aproximação dos dirigentes que realmente fazem o judô acontecer, maior será o judô do Brasil”, previu Francisco de Carvalho.

Além de professores kodanshas renomados e dirigentes estaduais, nesta foto estavam um campeão e três vice-campeões olímpicos

Sérgio Pessoa, Alessandro Puglia, Luis Carlos Novi, Francisco de Carvalho, Solange Pessoa e Hatiro Ogawa

Luiz Iwashita, Antônio Viana e Francisco de Carvalho

Dirigentes estaduais

Ton Pacheco com Rafael Silva

Moisés Penso e Francisco de Carvalho

Georgton Pacheco, Miguel Suganuma e Francisco de Carvalho

Grupo de dirigentes incorporado pelas presenças de Tibério Maribondo do Nascimento, Laedson Lopes Gonçalves e Tiago Camilo

Dirigentes em foto oficial nas dependências do Ginásio Poliesportivo de São Bernardo do Campo

Luiz Milhazes concedendo entrevista para a equipe da Budôpress

Antônio Jovenildo Viana cumprimenta o amigo Chico do Judô

Georgton Pacheco cumprimenta Francisco de Carvalho

Fernando Moimaz cumprimenta os colegas Chico do Judô e Alessandro Puglia

José Caldeira Cardoso Neto cumprimenta o presidente de honra da FPJudô

Francisco de Carvalho enfatizando a importância de encontros entre os dirigentes estaduais

Adversários nos tatamis nos anos 1960, Iwashita e Chico vivem hoje momentos inusitados na gestão esportiva

Antônio Luiz Milhazes cumprimenta os amigos paulistas

Fernando Moimaz concedendo entrevista para a equipe da Budôpress

O maranhense Luís Rodolfo Leite com os colegas paulistas

Reintegrado ao circuito competitivo nacional, Delfino Batista e atletas do Acre marcaram presença na Copa São Paulo 2019

Cesár Augusto Progetti Paschoal despediu-se oficialmente da gestão do judô sul-mato-grossense na Copa Sâo Paulo de Judô

 


© 2014 - Todos os direitos reservados  

É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo