+ Noticias

06/04/2020 17:32

CORONAVÍRUS: Secretario exige que a população altaflorestense saia de casa com máscara a partir desta segunda

(NATIVANEWS)

No final da tarde da última sexta-feira (03) o prefeito de Alta Floresta, Asiel Bezerra de Araújo baixou o decreto de n° 63/2020 que "CONSOLIDA, ESTABELECE E FIXA CRITERIOS PARA APLICAÇÃO DE REDIDAS NÃO FARMACOLÓGICAS EXCEPCIONAIS, DE CARATER TEMPORARIO, RESTRITIVAS A CIRCULAÇÃO E AS ATIVIDADES PRIVADAS, PARA A PREVENÇÃO DOS RISCOS DE DISSEMINACAO DO CORONAVIRUS (COVID-19) COM BASE N0 DECRETO 432/2020 DO GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO, BEM COMO PRORROGA PRAZO DE VENCIMENTO DE ALGUNS TRIBUTOS MUNICIPAIS, E DA OUTRAS PROVIDENCIAS.".

O decreto foi editado antes da confirmação do primeiro caso de covid-19 no município, que aconteceu neste sábado (04). Após a divulgação por parte da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT), prefeito e secretário municipal, Marcelo de Alécio Costa, através de redes sociais divulgaram um vídeo gravado falando sobre o caso.

Indo na contramão do governo do estado, que deu prazo até o próximo dia 13 para que toda população estivesse devidamente munido de máscaras e álcool 70%, o município exige da população altaflorestense que a partir desta segunda-feira (06) quem precisar sair de casa, saia de máscara.

O anúncio da campanha foi feito pelo governador Mauro Mendes, durante transmissão em seu instagram e nas redes sociais do Governo. “Estamos alocando recursos para que as nossas secretarias possam aderir a esta campanha. São ações simples, mas que tenho certeza que vão nos ajudar muito a combater esse vírus", afirmou o governador Mauro Mendes.

Mendes afirmou que será dado um prazo até o dia 13 de abril para que todas as empresas e estabelecimentos que continuarem em funcionamento durante a pandemia providenciem máscaras aos seus funcionários.

Desde que a pandemia de Covid-19 teve início na China, a imagem de pessoas usando máscara em público se tornou um símbolo da doença. Mas a Organização Mundial da Saúde (OMS), bem como o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, não listam o uso de máscaras como uma das medidas para prevenção. Por quê?

A Covid-19 se transmite, principalmente, por gotículas de saliva contaminadas que acabam sendo levadas pelas mãos para aberturas do corpo, como boca e nariz. O risco de transmissão pelo ar, até agora, parece baixo. Por isso, o uso de máscaras não garante que você não será contaminado – se você levar às mãos ao rosto para ajeitar a máscara, por exemplo, o vírus conseguirá entrar de qualquer jeito. O ideal mesmo é manter as mãos sempre higienizadas com água e sabão ou álcool gel, principalmente ao retornar de ambientes públicos, além de evitar grandes aglomerações, não dividir objetos pessoais e não tocar o rosto.

Mas as máscaras podem ter um efeito benéfico no controle da epidemia: impedir que pessoas infectadas levem o vírus adiante. Com a boca e o nariz cobertos, os fluídos dessas pessoas não entram em contato com outras pessoas ou objetos, limitando o espalhamento da doença. Por isso, a OMS e o Ministério da Saúde do Brasil aconselham que pessoas com os sintomas da doença utilizem máscaras ao sair em público para evitar infectas outros.

Além disso, a recomendação é para que médicos e agentes de saúde tratando de pacientes com casos confirmados também utilizem máscaras. Nestes casos, deve-se evitar tocar na máscara e descartá-la imediatamente após o uso.


© 2014 - Todos os direitos reservados  

É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo