Mundo

26/10/2017 17:01

Primeiro cartola de escândalo da Fifa é condenado nos EUA: veja quanto tempo de prisão e a multa que ele recebeu

(espn)

Um ex-juiz que durante anos presidiu a Federação de Futebol da Guatemala tornou-se o primeiro cartola a ser condenado nos Estados Unidos por causa do escândalo Fifagate, iniciado em maio de 2015 com a prisão de vários dirigentes em Zurique, na Suíça, e com muitas reverberações depois.

Héctor Trujillo, de 63 anos, foi condenado na última quarta-feira a oito meses de prisão pela Corte Federal do Brooklyn, em Nova York. Ele se declarou culpado por fraude e conspiração.

O guatemalteco também admitiu ter recebido quase US$ 200 mil (R$ 646,6 mil) em propinas de uma companhia que tentava garantir contratos exclusivos de marketing esportivo com a Federação. 

A promotoria, porém, havia pedido que Trujillo ficasse três anos na cadeira, pagando também US$ 415 mil (R$ 1,34 milhão) em restituição pelos crimes cometidos. Já sua defesa argumentou que ele não deveria nem ser preso pelas infrações cometidas entre 2009 e 2016.

No fim das contas, o juiz decidiu que o ex-dirigente ficará preso por oito meses e pagará US$ 175 mil (R$ 565,77 mil) em restituição. Antes, ele já havia pago uma fiança de US$ 4 milhões (R$ 12,93 milhões) para responder ao processo em prisão domiciliar, ficando detido em sua mansão na cidade de Miami.

Trujillo foi preso em dezembro de 2015 em Port Canaveral, na Florida, durante um cruzeiro com sua família.

Ao ser detido, o então presidente da Federação argumentou que ele não havia feito nada contra as leis da Guatemala, apesar de ter quebrado uma série de regras do Comitê de Ética da Fifa.

"Apesar do acusado argumentar que não recebeu o mesmo tanto de dinheiro quanto outros acusados no Fifagate, sua conduta foi idêntica ao de outros dirigentes de futebol corruptos que foram envolvidos neste caso. E essa conduta corrupta merece uma sentença significativa", escreveu a promotoria.

Já a defesa agiu rápido para tentar reduzir sua pena. Os advogados argumentaram que a prisão "obrigou" Trujillo a encerrar uma "linda carreira como jurista e advogado na Guatemala, onde ele possui reputação limpa e ilibada".

Além disso, citaram que a prisão fez com que seu estado de saúde piorasse, com "dores insuportáveis" nas costas e quadril devido às "muitas semanas em encarceramento tanto na cadeia quanto em casa".

A investigação do FBI sobre a corrupção na Fifa, iniciada há mais de dois anos, já resultou em mais de 40 admissões de culpa de dirigentes e executivos de marketing de empresas ligadas ao futebol. A maior parte dos casos envolve pagamento de propina de companhias para dirigentes por exclusividade nos direitos de transmissão de jogos das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Na Suíça, a Justiça também segue apurando o caso, enquanto a Fifa clama ter feito uma série de investigações internas para acabar com a corrupção e o pagamento de propinas na entidade que rege o futebol mundial.


© 2014 - Todos os direitos reservados  

É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo