Mundo

31/10/2017 17:10

Como Neymar, "Rei de Paris", causa risco de rebelião de jogadores no PSG

(Goal.com)

O PSG pode estar na liderança da Ligue 1 e pode até ir às eliminatórias da Champions League, tendo passado facilmente por Bayern de Munique, Anderlecht e Celtic até o momento, mas não é tudo o que parece no Parque dos Príncipes.

 

Por trás das portas fechadas, há problemas e no centro da tempestade está o jogador mais caro do mundo.

No campo, aparentemente houve poucos problemas com sua integração ao elenco, tendo marcado 10 gols em 11 jogos e se tornando líder e a superestrela que o PSG esperava.

Mas enquanto suas atuações não foram afetadas pela pressão de ser o jogador mais caro de todos os tempos, no vestiário, alguns de seus companheiros de equipe ficaram muito menos animados com a atitude distante do brasileiro.

O ex-diretor esportivo do PSG, Leonardo, descreveu o atacante como "carismático e impertinente" ao Le Journal Du Dimancge e mandou um recado ao jogador e ao clube.

"Ele nunca pode se sentir maior do que a instituição", disse. "Nunca, mesmo que ele seja o melhor do mundo. O PSG deve ser mais importante do que Neymar, é essencial. Caso contrário, não veremos o melhor Neymar".

O problema é que Neymar se sente maior do que o PSG, tendo sido prometido um status de rei quando chegou. Ele acabou tomando espaço de alguns jogadores, além de ter se envolvido em uma polêmica com Cavani.

Daniel Alves tentou corrigir o incidente com um jantar, mas segundo o jornal El País, a atmosfera foi de "um funeral."

Este desafio muito público do status de Neymar como rei do clube continua no vestiário hoje.

Nos treinamentos, a atitude do jogador tem sido questionável. Semana passada, por exemplo, ele passou uma grande parte da sessão simplesmente tentando atrapalhar os oponentes, enquanto também interrompeu exercícios de corrida.

O descontentamento gerado por Neymar pode ser pelo fato de o elenco achar que merece mais respeito do que recebeu. Clube e torcida o tratam de forma generosa, mas esse não é o caso com seus companheiros.

Neymar chegou ao PSG para ser adorado da maneira que Lionel Messi é em Barcelona, mas descobriu que simplesmente ser o jogador mais caro do mundo não ganha respeito em um time apertado.

Além disso, surgiu também na última semana a notícia de que Neymar não tem uma boa relação com Unai Emery, que não tem controle sobre o brasileiro que, por sua vez, dá pouca atenção ao treinador.

Quando alguns jogadores viram o comportamento de Neymar, foram questionar o PSG o fato de quase terem sido despejados por alguém que age como um pirralho. Como resultado disso, seu relacionamento com vários membros do elenco é, segundo fontes próximas, considerado mínimo.

Neymar, portanto, está em um ponto decisivo na sua carreira. Ele mudará o seu comportamento para se tornar o melhor jogador do mundo ou se contentará em se comportar como se fosse superior a todos no clube?

A resposta do brasileiro será vital para seu próprio futuro, mas também para o PSG.


© 2014 - Todos os direitos reservados  

É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo