Notícias

05/10/2018 16:26

CALOTE ELEITORAL - Candidatos à AL pagam cabos eleitorais com cheques sem fundo em MT

(folhamax)

O candidato a deputado estadual Isac Nascimento Marques (PRTB), pela coligação ‘Fé e Trabalho’, pagou cerca de 1200 cabos eleitorais com cheques sem fundo e desapareceu. Foram contratados para trabalhar com o candidato cerca de 20 coordenadores que receberiam mil reais, 40 líderes por R$ 500 e 1100 apoiadores por R$ 50 cada, um total de R$ 95 mil.

Segundo uma das coordenadoras do candidato Paula Catrine Martilene, os cabos eleitorais estão há quase uma semana tentando descontar o cheque que tem sido rejeitado pela agência bancária por não ter fundo. "Ele nos passou esse cheque na sexta-feira passada (28), para ser descontado na segunda-feira (01). Fomos ao banco e não foi possível trocar porque não tinha fundos. Falamos com ele e ele disse para ir na quarta-feira (03), voltamos no banco e tivemos a mesma resposta, sem fundo novamente", explicou Paula.

Ainda de acordo com a coordenadora, o último contato que os cabos eleitorais tiveram com o candidato Isac Marques foi na quarta-feira (03), depois disso ele teria desaparecido. "Nós falamos com Isac na quarta a noite quando ele nos disse que até as 14 horas dessa quinta-feira (04) iria recolher os cheques e faria o pagamento em mãos, mas não foi o que aconteceu. Ele simplesmente sumiu, não atende nossas ligações, não deu nenhuma satisfação. Sumiu do mapa", detalha a jovem.

Paula acrescenta ainda que todos os trabalhadores vão acionar o candidato na Justiça. “Começamos a trabalhar no dia 02 de setembro, por muitas vezes íamos para outras cidades, trabalhávamos embaixo de sol não é justo isso que ele fez conosco e vamos acioná-lo na Justiça", finalizou.

Além de Isac, uma outra candidata do PRTB enfrenta problemas para pagar os cabos eleitorais. Andressa Marinho, que teve o registro indeferido e concorre sub judice, também é acusada de não pagar os cabos eleitorais.

Ela, porém, alega que não recebeu os repasses prometidos pelo partido e pela coligação, que tem como cabeças de chapas o governador Pedro Taques, candidato a reeleição, e o deputado federal Nilson Leitão, que disputa uma vaga ao Senado. 

Os repasses seriam referentes ao Fundo Eleitoral. Todavia, o PRTB alega que seu fundo está suspenso por decisão do TRE e todos os candidatos estavam cientes que deveriam arcar com suas próprias despesas de campanha.


© 2014 - Todos os direitos reservados  

É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo