Política

13/04/2018 10:41

CASAMENTO NO FIM - Taques lembra derrota de Piveta em casa e quer chapa com Jaime e Leitão

(folhamax)

“Até casamentos acabam”. A frase é do governador Pedro Taques (PDSB), que minimizou, durante uma entrevista a TV Vila Real, nesta quarta-feira, a saída de aliados do seu governo, como o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM).

Ele também afirmou que o democrata tem toda legitimidade para ser candidato ao Governo do Estado, mas questionou se ele realmente se lançará ao cargo. Taques também comentou sobre o posicionamento de outros antigos aliados de seu governo, como o senador licenciado e ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP); o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde e seu coordenador de campanha em 2014, Otaviano Pivetta (PDT). “Estive junto com o Mauro Mendes em 2010, 2012 e 2014. Até casamento acaba. Se ele deseja ser candidato, que seja. Eu escolho companheiros leais que estejam comigo, não adversários. Ele tem toda legitimidade para ser candidato e é bom que seja. A democracia exige candidatos. Mauro Mendes é candidato? Eu sou candidato? O futuro, a Deus pertence”, afirmou.

Ao comentar sobre o posicionamento de dois grandes nomes do agronegócio estadual, Taques teve posturas distintas. Enquanto encheu Blairo Maggi de elogios, não poupou Otaviano Pivetta de alfinetadas, que havia dito que a gestão do tucano "decepcionou". “O senador é muito importante e tem ajudado o estado de Mato Grosso. Não sou censor do Blairo Maggi. Ele sabe a quem apoiar e tem liberdade para isso. Eu fico pensando se o eleitorado de Lucas também entendeu isso do Otaviano Pivetta? Ele também perdeu a eleição lá”, cutucou.

CHAPA DOS SONHOS

O governador também revelou que muitos dos seus aliados e também ex-aliados querem que ele não seja candidate à reeleição e apoie uma possível candidatura do ex-secretário de Projetos Estratégicos, Jayme Campos (DEM), ao Governo do Estado. “Muita gente da classe política quer que eu tome essa decisão. Não sei que receio que se tem de eu ser o governador do Estado de Mato Grosso. Sou governador no mínimo até o dia 31 de dezembro deste ano. Jayme tem todo o cabidal para ser governador. Ele inclusive já foi”, desconversou.

Ao falar de Jayme em outro cargo, Taques muda de tom e passa a apoiar uma possível candidatura do democrata. Ele entende que o ex-governador, juntamente com o deputado federal Nilson Leitão (PSDB), são os nomes ideais para a chapa na corrida ao Senado. “Eu entendo que o Nilson Leitão é um grande candidato ao Senado e defendo sua candidatura. O segundo nome depende das composições políticas. O Jayme é um grande nome, mas eu não o convidei. Ele, que tem mais experiência que eu e tem que me convidar. Conversamos sobre política, conjunturas, aliás, falo com ele quase todos os dias. Ele já foi governador e senador. Ele tem a camisa 10 em qualquer time”, completa.

 

 


© 2014 - Todos os direitos reservados  

É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo